Dias Felizes

Sexualidade

Faria amor no primeiro encontro?

Entre química, desejo, ousadia, a promessa de uma relação estável ou a mera promiscuidade, fica a dúvida... Você seria capaz?

Sem padre... mas com simbolismo qb Nada obriga a que um casamento civil se limite à assinatura de um contrato numa conservatória. É possível celebrar um casamento emotivo e carregado de simbolismo, mesmo sem a bênção de um sacerdote:
  • Combine com antecedência com o representante do registo civil os pormenores mais prosaicos como o pagamento dos emolumentos (para evitar que surjam durante cerimónia e quebrem o encanto do momento)
  • Escreva os seus próprios votos (em breve, o Dias Felizes publicará um artigo inteiramente dedicado a este ponto. Fique atento!)
  • Convide os padrinhos para dizer algumas palavras durante a cerimónia (por exemplo, explicar porque acreditam que a vossa união vai resultar) ou um casal mais velho para testemunhar o segredo de um casamento feliz e duradouro.
  • Inclua algum gesto ou rito tradicional que lhe seja caro, para dar sorte ou simplesmente porque sim.
  • Peça a um amigo ou familiar para declamar um poema adequado à ocasião.
  • Escolha criteriosamente a música (gravada ou ao vivo) que tocará à entrada, no decorrer e no final da cerimónia. Não tem necessariamente que ser música clássica (que tal a canção ao som da qual começaram a namorar?)
  • Um dia perfeito

    Burocracia

    Imprimir

    Casar na praia?

    Mais simples do que imagina!

    A legislação portuguesa facilita bastante a vida de quem deseja um casamento invulgar. Se o seu sonho é casar na praia, junto a um marco geodésico, no quintal da avó ou a bordo de um iate, saiba que é possível. Isto, desde que existam estruturas mínimas de acesso ao local e condições que permitam ao conservador levar a cabo a sua função com dignidade. É, basicamente, uma questão de taxas, nem por isso exageradas. Ora veja:

    Local: quem quiser casar fora das paredes da conservatória do registo civil da sua área de residência deverá pagar a deslocação do conservador (a tarifa de taxi - ida e volta - desde a conservatória ao local escolhido).

    Horário: se a cerimónia acontecer fora do horário normal de funcionamento das conservatórias (à noite ou ao fim de semana, por exemplo), são devidos mais 70€.

    Concelho: no caso de os noivos optarem por casar fora do concelho de residência, pagam mais 16€ pela transferência do processo.

    Estes valores somam-se ao custo da organização do processo (54€) e ao do assento de casamento (35€). Ou seja, no total, o processo total pode ascender aos 175€ (+ deslocação do conservador). Para se inteirar de outros documentos e custos relacionados, leia o artigo «Papeladas, prazos e impedimentos».

    Se, há alguns anos, um casamento de registo, era algo muito seco e despojado de emotividade, semelhante à cerimónia de assinatura da escritura de um imóvel, hoje a situação mudou. A maioria dos conservadores têm consciência de como podem influenciar o «sabor» de um dos momentos mais importantes da vida das pessoas. Os casamentos realizados fora da conservatória e do horário de expediente tornaram-se comuns. Normalmente, uma conversa prévia com o conservador que vai realizar o registo é suficiente para tirar dúvidas e acertar pormenores (v. caixa).

    Quanto ao casamento religioso, considerado um sacramento e encarado com toda a solenidade, a atitude é completamente diferente. Em Portugal, apenas as igrejas no activo (sedes de paróquia ou templos onde se celebram actos litúrgicos com regularidade) pode ser palco de mareimónios. Excepções a esta regra terão de ser autorizadas pessoalmente pelo bispo da diocese. O argumento fundamental para o deferimento de um pedido especial deste tipo (por exemplo, um casal que queira casar na capela recentemente restaurada da quinta da família do noivo) é a garantia de que o recolhimento espiritual é superior ao caracter social da cerimónia. Aqui se deixa um aviso à navegação dos eventuais interessados nesta questão: as respostas positivas a este género de solicitação não são frequentes.

    Resumindo e concluindo: se o seu sonho é uma união abençoada pela Santa Madre Igreja, na praia, ao final da tarde, com todos os convidados vestidos de branco como num filme, pense melhor. Vai ter que decidir o que é mais importante para si: ou o «sim» ao som do rebentamento das ondas ou o solene «não separe o Homem o que Deus uniu», antes do beijo triunfante. Porque, com toda a probabilidade, não vai conseguir ter as duas coisas na mesma cerimónia. Pelo menos, segundo os cânones da Igreja Católica Portuguesa.

    NR: os emolumentos foram arredondados ao cêntimo para uma melhor leitura

    casar na praia, casamentos originais, casamento na praia, casamento católico, casamento religioso


     
    Expoquintas
    Directório IOL:
    Comprar Carro Usado Carros Usados |  Motor IOL |  Autocomércio |  Casas |  Emprego |  Classificados
    Media Capital | Prisa