Dias Felizes

Sexualidade

Faria amor no primeiro encontro?

Entre química, desejo, ousadia, a promessa de uma relação estável ou a mera promiscuidade, fica a dúvida... Você seria capaz?

Perfil do tímido típico:
  • Ruboriza com facilidade, apresenta sinais de nervosismo
  • Pensa muito bem antes de falar
  • Baixa a cabeça quando entra num local cheio de desconhecidos
  • Tem poucos amigos, mas sinceros
  • É pontual e responsável
  • Veste-se de forma discreta
  • Tem menos namorados
  • Casa-se mais tarde Regras de ouro para lidar com um tímido
  • Respeite o seu silêncio. Não faça comentários constrangedores do género: "não dizes nada?", "perdeste a língua?", "vê lá se te calas, já ninguém te pode ouvir", que apenas servirão para o retrair ainda mais.
  • No plano afectivo, não se arme em Cupido pois os resultados podem ser desastrosos. Mesmo que não compreenda por que motivo a sua amiga, tão gira, mas muito tímida, não tem namorado, não se intrometa. Os tímidos têm o seu timing e saberão resolver a sua vida amorosa no momento certo.
  • Nas saídas em grupo, na presença de um tímido, tente conduzir a conversa para um assunto que ele domine. A pouco e pouco, coloque-lhe pequenas questões a que ele possa responder sem ficar embaraçado. Lentamente, ele sentir-se-á mais familiarizado.
  • Não diga à sua amiga tímida que vão estar apenas meia dúzia de conhecidos na festa, quando sabe que vão estar mais de 50 estranhos. Contrariamente ao que você pensa, ela não sofrerá apenas o impacto inicial. O mais provável é que toda a festa seja um verdadeiro tormento para ela.
  • Não insista com uma pessoa tímida para que faça algo que, para si, parece simples, mas que para ela pode ser mesmo um drama. Seja compreensiva, tente perceber o que a atormenta e, quando muito, diga-lhe que, se ela quiser superar essa barreira, estará ao seu lado para a ajudar.
  • Os tímidos são extremamente perfeccionistas e sofrem muito com os seus erros. Na presença de um tímido, procure não gozar com eventuais falhas e dificuldades e, perante uma gaffe, relembre-lhe que errar é humano.
  • Saúde e Bem-estar

    Emoções

    Imprimir

    Psicologia

    Aprenda a lidar com a timidez

    "A timidez não é defeito, é feitio. Mas um feitio muito especial."



    Sensíveis e inseguros, os tímidos são muitas vezes obrigados a ouvir comentários e piadas inoportunos dos mais desinibidos. Para que não seja você a cometer a argolada, conheça melhor os problemas da timidez e saiba que há coisas que não se fazem ou dizem a um tímido.
    A amiga tinha-lhe garantido que estariam apenas meia dúzia de amigos íntimos na sua festa de aniversário, mas assim que entrou no restaurante, deu de caras com mais de três dezenas de estranhos. Num primeiro momento, o pânico quase se apoderou dela e apeteceu-lhe fugir. Decidiu ficar para não fazer a desfeita. Dirigiu-se ao seu lugar e, azar dos azares, constatou que ficou mesmo no meio de dois desconhecidos (ainda por cima, o da esquerda era lindo de morrer!). Enquanto o companheiro do lado direito vai metendo conversa (para o da esquerda ela nem se atrevia a olhar!), limitava-se a acenar com a cabeça e a esboçar um sorriso nervoso. As coisas até corriam bem entre ela, o seu silêncio e o vizinho tagarela, quando a "querida" amiga se lembra de erguer a voz para lhe dizer ironicamente: "vê lá se te calas, já não te podemos ouvir!".

    Ora, um tímido já sabe que o é. E, numa situação destas, tem perfeita consciência que está ali sentado sem dizer nada. Aliás, o mais provável é que esteja a dizer para si próprio: tens de falar, tens de dizer qualquer coisa. Pérolas como o "vê lá se te calas..." apenas servem para agravar o problema.

    Apoiar e estimular

    A sociedade não sabe lidar com a timidez (tal como acontece com outras diferenças). Há tendência para abusar do tímido pela sua fragilidade. Além disso, as reacções habituais perante um tímido vão no sentido da comiseração, quando deviam ser atitudes de apoio e estímulo.

    "O tímido é obrigado a enfrentar pequenas (e grandes) barreiras todos os dias."



    As dificuldades começam logo nos tempos da escola. Os mais introvertidos tendem a "esconder-se" na última fila e a rodearem-se apenas de uma ou duas pessoas. Nas aulas, por mais que saibam de cor e salteado a matéria, jamais se atrevem a responder em voz alta a uma pergunta do professor. No final de cada período, a ficha informativa traz o recadinho do costume: devia participar mais nas aulas.

    A passagem pela adolescência é ainda mais complicada. A puberdade e as mudanças no corpo apenas servem para acentuar inseguranças. Nas primeiras "disputas" amorosas, o tímido sai quase sempre a perder, pois o seu tempo de acção e reacção é bastante mais lento.

    Mas desenganem-se os que pensam que para os adultos é mais fácil. Obrigações profissionais, como reuniões ou palestras são um verdadeiro horror para os mais introvertidos, que até desejam ser acometidos por uma febre súbita no dia D, só para não terem de enfrentar uma plateia. E até nos momentos de lazer a coisa se complica... uma simples ida ao ginásio, perante o olhar de estranhos, é suficiente para deixar qualquer tímido a transpirar, mesmo antes das primeiras pedaladas na bicicleta.

    Mimos contra a tímidez

    Os estímulos que a criança recebe na vida intra-uterina e depois do nascimento são muito importantes. Tornamo-nos tímidos quando não recebemos os estímulos afectivos essenciais, até porque o recém-nascido capta por osmose psíquica a forma como é recebido no mundo. Outro factor importante é a educação. Uma criança que não é treinada para o convívio e que é exageradamente protegida, não tem capacidade de se enfrentar com os outros e de desenvolver as suas capacidades.
    Um tímido é facilmente identificável pelas suas atitudes e personalidade. Geralmente, é uma pessoa que sente as coisas mas não é capaz de actuar sobre elas. É também muito sensível e susceptível e as mais pequenas coisas ferem-na bastante.


     
    Expoquintas
    Directório IOL:
    Comprar Carro Usado Carros Usados |  Motor IOL |  Autocomércio |  Casas |  Emprego |  Classificados
    Media Capital | Prisa